Além do uso obrigatório de máscaras, de não poder ir ao cinema quando quer ver um lançamento e ter cancelados todos os seus encontros familiares, a pandemia de COVID-19 exigiu de nós muitas mudanças em relação à vida em sociedade, e este assunto é falado por todos nós diariamente, há um ano.

Mas gostaria de falar sobre um detalhe em especial, que para mim representou um dos maiores ganhos da vida profissional, que é ter a possibilidade de trabalhar em qualquer lugar, seja onde for, abrindo um mundo, literalmente um mundo de oportunidades. O que foi imposto pela pandemia tornou-se uma vantagem para quem tem o privilégio de poder trabalhar de forma remota.

A porta para o mundo, que já estava entreaberta, se escancarou de repente com a necessidade do home office, impulsionando o aumento de conexões profissionais, de forma exponencial, seguindo o ritmo da própria pandemia. O processo de recrutamento e seleção e a contratação de fornecedores e parceiros não se limita mais à sua cidade ou estado, nem mesmo ao seu país. Muitas empresas, que foram forçadas a esvaziar seus escritórios, viram nesta forma de trabalho a expansão territorial no processo de busca de profissionais.

Sabemos que existem desafios nesta modalidade laboral, como por exemplo, definir um limite entre vida pessoal e profissional, já que as duas acontecem no mesmo local físico. Mas os benefícios são muitos.

O que é mais interessante é que muitas oportunidades de trabalho, tal como, desenvolver projetos internacionais, já existiam, mas estavam cobertas por uma cortina de fumaça chamada “distanciamento físico”. A necessidade do home office, de alguma forma, dissipou toda esta fumaça, quebrou paradigmas e abriu os olhos de empresários e profissionais que nunca haviam pensado em trabalhar com outro país para as oportunidades que um mundo globalizado e digitalizado apresenta.

Poder desenvolver projetos internacionais é estimulante e, ao mesmo tempo, apresenta grandes desafios, iniciando-se no idioma, passando pelas diferenças culturais e finalizando na expectativa final do trabalho. A falta de conhecimento que o cliente tem do seu trabalho, por estar muitas vezes bem distante e não possuir referências, também representa um obstáculo, que deve ser superado com a comunicação constante e apresentação de um trabalho coeso e que atenda exatamente suas expectativas.

É imprescindível estar atento a inovações e ao conceito de transformação digital, que é consenso aqui e em qualquer lugar do mundo, como algo imperativo para que as empresas se mantenham no mercado e cresçam.

As portas estão abertas para o mundo, e não serão mais fechadas. É um caminho sem volta.

 

Leticia Lopes além de autora deste artigo, é nossa Head of Planning and Quality Assurance, especialista em planejamento estratégico e gestão de projetos. 

Deixe uma resposta