Consumidor 4.0: Desafios do Varejo

A mudança de comportamento dos clientes exige das empresas integração dos seus processos internos e investimento em plataformas omnichannel.

A transformação digital está integrando empresas, consumidores, processos corporativos e modelos organizacionais. Torna os negócios mais rápidos, mais assertivos e, na maioria das vezes, mais rentáveis.

A grande questão é que não existe um tempo específico para que as adaptações aconteçam. As disrupturas ocorrem gradativamente e não podem parar. E as inovações vão sendo incorporadas e tornam-se essenciais. Um bom exemplo, é a quantidade de aplicativos disponíveis para as mais diversas finalidades. Instalamos APPs quase que intuitivamente, e de uma hora para outra,  entendemos que não podemos mais ficar sem eles e, em contrapartida, sem os smartphones, que já se tornaram pequenos computadores de bolso.

Só para que se tenha uma ideia, a Apple e a Google representam mais de 5 milhões de aplicativos em todo o mundo. E, todos os meses, essa lista é atualizada. É como se o F5 do teclado do computador fosse acionado o tempo todo, sem intervalo.

As tecnologias chegaram e avanço cada vez mais rapidamente e as empresas devem se integrar a esses processos, levando em consideração, que na era da transformação digital, com inteligência artificial, IOT e outras ferramentas cada vez mais acessíveis, é o cliente quem dita as regras. E ele quer sempre mais!

O varejo precisa atender às expectativas do seu público-alvo e uma das formas mais acessíveis para alcançar a inovação necessária são as APIs. O consumidor quer ter boas experiências de compra, quer transitar pelos canais físicos e digitais sem barreiras. Segundo o estudo “Ecossistema Omnichannel: a visão de consumidores e empresas no Brasil”, realizado pela Associação Brasileira de Automação-GS1 Brasil, organização sem fins lucrativos que representa nacionalmente a GS1 Global, 79% dos consumidores acreditam que o código de referência de um produto deve ser o mesmo na loja física ou virtual, ou seja, a padronização é imprescindível. 68% dos entrevistados reconhecem o acesso às informações de rastreabilidade dos produtos tanto no mundo físico quanto no virtual.

Não é por acaso que as grandes companhias estão focadas no departamento de Customer Success. A reunião de talentos agrega qualidade e sucesso às imersões tecnológicas do cliente. Atendimento, marketing e vendas trabalham em nome da satisfação e fidelização da geração que migrou do mundo analógico para o digital por intermédio das plataformas omnichannels. É como dormir no Brasil e acordar no Japão. A metáfora ilustra bem a questão do quanto é desafiador mudar um ritmo de vida e uma realidade desconhecida.

Em meio a essa realidade, os consumidores fiéis se tornaram os próprios advogados da marca, e este é um ponto muito positivo. Se anteriormente a propaganda boca a boca já fazia diferença para consolidar uma marca e sua reputação como negativa ou positiva, imagina agora com a disseminação de informações via redes sociais real time.

A disputa por um lugar de destaque neste mundo globalizado só será vencida pelas empresas que realizarem ações que envolvam a Internet das Coisas e a fusão do virtual e do físico de forma pioneira, sem amarras e pré-conceitos.

João Gubolin

CEO da CiaTécnica

Deixe uma resposta